Mosaiko lança o projecto Rodas de Leitura
Alunos do Ensino Primário participam no 1º encontro
8 de Setembro
Viana | Estalagem
Bookmark and Share Partilhar



O Mosaiko, em parceria com a Fundação Arte e Cultura, lançou no dia 8 de Setembro um projecto denominado Rodas de Leitura.


O projecto visa promover o hábito de leitura aos estudantes, através de encontros com escritores nacionais e contactos com as suas obras.


O primeiro encontro marcado pela presença de 72 alunos do Ensino Primário das escolas vizinhas do Mosaiko: a Escola Pública 5008 e a escola católica Ascencion Nicol, contou com a moderação do escritor Hermenegildo Paquete, que partilhou com os alunos o livro de sua autoria: Contos das Estrelas.


Hermenegildo Paquete disse que ficou surpreso pelo número de crianças e a participação activa delas durante o encontro. Pude sentir que elas têm muita vontade de aprender e dentro delas há também crianças com muito potencial, revelou.


Para o escritor, as pessoas devem criar o hábito de leitura e de escrita a partir da tenra idade. Deve-se mostrar às crianças o valor e o interesse que se tem em aprender a ler e depois criar as suas próprias estórias, disse o Hermenegildo Paquete.


O estudante Augusto Gabriel, da Escola 5008, disse estar satisfeito com a actividade e conta o que aprendeu na primeira edição do projecto Rodas de Leitura, depois de uma viagem aos contos da obra do escritor Hermenegildo Paquete: aprendi que é bom ter amigo, que é bom ler e escrever, e também que não devemos fazer mal aos outros, disse o estudante da 4ª classe.


Segundo a coordenadora da Biblioteca Mosaiko, irmã Cecília Prudêncio, pretende-se elevar o projecto até aos estudantes universitários. É nosso desejo que este projecto não fique só pelos alunos do Ensino Primário, queremos que se estenda para o primeiro e segundo ciclos, como também para os estudantes universitários, revelou a irmã Cecília Prudêncio.


Os encontros serão periódicos e vão obedecer uma agenda mensal ou quinzenal.

Mosaiko | 20 anos ao serviço dos Direitos Humanos em Angola