Mosaiko facilita a 2ª fase de Formação sobre Cidadania e Direitos Humanos
Finalistas do ICRA partilham as suas experiências de estágio
6-8 Novembro 2017
Luanda
Bookmark and Share Partilhar



O Mosaiko | Instituto para a Cidadania facilitou a segunda fase do Seminário de Formação sobre Cidadania e Direitos Humanos, de 6 a 8 de Novembro, no Instituto de Ciências Religiosas de Angola (ICRA). O seminário foi dirigido aos estudantes finalistas do Curso de Educadores Sociais.

Os 61 estudantes finalistas partilharam as suas experiências de estágio com a equipa do Mosaiko, constituída pela coordenadora da Biblioteca Mosaiko, irmã Cecilia Prudencio, e pela advogada-estagiária irmã Francisca Imaculada.

Os estágios foram feitos em sete províncias do País: Zaire, Bengo, Malanje, Luanda, Cuanza Sul, Huila e Benguela.


Segundo a irmã Cecilia Prudencio, esta fase foi realizada com o objectivo de fazer uma leitura das experiências de estágio dos estudantes, tendo como base os Direitos Humanos.


A facilitadora disse ainda que nas experiências passadas pelos estudantes e contadas durante o seminário deu para perceber que eles conheceram várias realidades de Direitos Humanos nas suas localidades de estágio que na prática ainda se nota a ausência de mecanismos para a sua efectivação, tais como os Direitos da Criança, o direito à saúde, à educação e saneamento, disse.


A irmã Cecilia Prudencio revelou que, com esta segunda fase, a equipa facilitadora obteve mais informações sobre a realidade de Direitos Humanos nessas sete províncias do País.


Há muita gente jovem que tem vontade de trabalhar para a dignidade das pessoas, finalizou a irmã Cecilia Prudencio.


A primeira fase


O Mosaiko tem facilitado este seminário todos os anos para os finalistas do ICRA-Educadores Sociais. A primeira fase do Seminário, este ano, aconteceu de 13 a 17 de Março e teve a finalidade de preparar os Educadores Sociais a fim de diagnosticarem os problemas relacionados com os Direitos Humanos nos seus contextos de estágio.

 

Mosaiko | 20 anos ao serviço dos Direitos Humanos em Angola